Stephen Hawking faleceu na última semana, mais especificamente no dia 14. Todavia, o físico teórico deixou um legado repleto de teorias e estudos que, sem sombra de dúvidas, servirão de combustível para muitas outras descobertas. Uma das ideias em que ele avidamente se aprofundava, por sinal, era o conceito de que existem muitos outros universos além deste – lugares com galáxias, estrelas e planetas completamente desconhecidos.

Embora não haja evidência de que realmente esses supostos universos paralelos existam, Hawking vinha trabalhando com um colega de ramo, o teórico Thomas Hertog, para provar que é possível observar o cosmos e encontrar evidências desses misteriosos lugares. Embora o Professor tenha partido dessa para melhor, Hertog permanece pesquisando as questões mais profundas do universo no Instituto de Física Teórica da Universidade de Leuven, na Bélgica.

O artigo foi enviado para um jornal e está disponível online, tendo sido a última atualização feita em 4 de março por Hertog e Hawking. O documento baseia-se na teoria de Hawking datada em 1983, a respeito do Big Bang – um evento que muitos profissionais do meio cientifico acreditam que provocou o início do universo há pelo menos 13,8 bilhões de anos.

Para além do Big Bang

Hawking não encarava essa teoria com bons olhos, porém. Para o Professor, esta conclusão era inaceitável e ele exigia que um experimento fosse aplicado para explicar um número infinito de potenciais universos. Assim sendo, Hawking procurou uma solução: “vamos tentar dominar o multiverso”, ele disse a Hertog há cerca de um ano, a respeito de seu plano de pesquisas.

Uma representação do Big Bang. (Imagem: Curiosity)

O artigo “cria um quadro científico coerente e verificável”, de acordo com Hertog. O teórico orientará os cientistas na busca para encontrar evidências de outros universos, algo que atualmente só existe em obras de ficção científica. Usando matemática complexa, Hwaking e Hertog afirmam que as futuras missões de pesquisa, usando recursos da Terra ou do espaço, devem ser capazes de mostrar evidências de poderosas ondas gravitacionais do Big Bang.

Segundo Hertog, encontrar evidências do Big Bang traria uma camada a mais à ideia de que este tipo de evento é responsável por criar outros universos – uma realidade que alteraria momentaneamente a compressão das pessoas sobre o espaço e sobre elas mesmas. “Isso constitui uma extensão significativa da nossa noção de realidade física”, disse o teórico.

Reversão de crenças antigas

Embora alguns cosmólogos argumentem que seja impossível a existência de um multiverso, já que para eles esta afirmação não poderia ser testada, Hertog acredita que agora há uma chance de fazer isso acontecer.

Uma representação do espaço-tempo do Big Bang (o início é à esquerda), e o procedimento de desenvolvimento do universo (Imagem: Nasa)

O presidente do Departamento de Astronomia de Harvard e diretor do Instituto Harvard de Teoria e Computação, Avi Loeb, disse em entrevista que acha a ideia muito interessante. Todavia, ele se mostrou cético quando ao roteiro de pesquisa apresentado no documento. De acordo com Loeb, Hawking estava construindo um pensamento preliminar nas últimas semanas com base em teorias que ainda não são muito bem aceitas, justificando que a abordagem é questionável.

No passado, alguns teóricos acreditavam que o multiverso não poderia ser comprovado como uma mentira por conta da consciência de que “tudo que pode acontecer uma vez acontecerá um número infinito de vezes”, explicou Loeb. Em contrapartida, o argumento de Harking e de Hertog fornece a possibilidade de existência de universos paralelos serem provados verdadeiros ou falsos, ainda que seja preciso elaborar a pesquisa com mais detalhes.

Apesar de Stephen Hawking nunca ter ganhado um Prêmio Nobel por suas pesquisas enquanto estava vivo, esta pode ser a deixa para que os pesquisadores que continuam seus estudos sejam homenageados e ampliem seu legado, caso as futuras pesquisas consigam capturar as ondas gravitacionais de um Big Bang passando pelo nosso universo. A partir desta etapa, caso ela seja conclusiva, a existência de realidades alternativas pode ganhar um pouco mais de credibilidade também.

Fonte: Mashable

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *